dAdA RAdiO MÚSICA 2.0 NA PUC

Olá pessoas, amigos e ouvintes…sexta 17h30 tem electrojazz no museu da cultura da PUC… discotecando um set dedicado especialmente a definição do electrojazz…passeio por sons vindos da frança-escandinávia-leste europeu-eua buscando as fusões do electronico na sua forma mais jungle e techno ao lados dos timbres e beats do jazz…NAS PROJEÇÕES midiadub construindo a compreensão visual >>uma leitura atravÉS DA MÚSICA-imagemovimento.


“a dada rádio e o museu da cultura da PUC/SP promovem o terceiro encontro do ciclo “música 2.0 – deslocamentos da música contemporânea”, com a participação de amadeuZ DJ e pesquisador da dada rádio com a participação da dupla de vj’s midiaDub.

o projeto música 2.0 da dada rádio procura pinçar alguns aspectos dentre uma vasta, muito vasta, produção. para indicar como existe uma postura neo-tradicionalista defendida por wynton marsalis, principalmente, que objetiva transformar o jazz na música erudita norte-americana, territorializando-o, enquanto na europa temos um movimento de desterritorialização do jazz a partir de sua fusão com elementos da música eletrônica e eletroacústica contemporânea e que utilizará a internet como meio fundamental de distribuição, enquanto o new jazz continua ancorado no modo de produção que persiste desde o século xix, utilizando como suporte o vinil ou o compact disc e sob regime de copyright.

assim, temos dois movimentos pendulares. há uma ruptura e a criação de uma linha de fuga que possibilita a expressão do jazz em múltiplos âmbitos, sua fusão, como queria miles davis com os mais diversos estilos e produções musicais, o que podemos observar na obra de produtores díspares como tortoise convidando o público para múltiplas experimentações ou robotobibok enchendo a cara de vodka em bares poloneses, ou ainda, bugge wesseltoft, sidsel endresen, eivind aarsets, wibutee ou kammerflimmer kollektief. diversos grupos procurando a mistura, a sonoridade tônica e composta, a aperiodicidade. efetuadas tanto pelos músicos do free jazz quanto pelas experimentações dos compositores da vertente da música instrumental serial da década de 1950 que se bifurcaria mais adiante em música eletrônica e música concreta. deslocamentos e desterritorializações que se proliferam por meio de fluxos p2p e mp3 players pelo planeta, mas que parecem apontar, também, para o fato de que a cultura contemporânea está sendo rapidamente desmaterializada, isto é, digitalizada e reelaborada na esfera da informação. mesmo assim, não podemos apostar na idéia de que resistir, nesse caso, é dar um passo atrás, como propõe wynton marsalis ou diana krall, e sim um salto por cima que nos possibilite ir além. e talvez o electrojazz seja um passo nesse sentido.” (marcio black)

à partir das 17hs

local:
pátio do museu da cultura puc/sp
rua. monte alegre, 984 perdizes são paulo

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *