KING CRIMSON VOL 1 :: dAdA RAdiOgrAfiA

the-schizoid-the-king-king-crimson3Classificações por gênero no meio musical são bastante comuns e por muitas vezes nos auxiliam nas pesquisas de determinados segmentos ou linguagens musicais, no entanto, por muitas vezes também causam limitações e até mesmo a construção de preconceitos com certos grupos que pela diversidade sonora são difíceis de serem catalogados.

maxresdefaultUma dessas bandas é o King Crimson, grupo liderado pelo guitarrista Robert Fripp que possui uma longa trajetória de produções e diferentes formações desde o final dos anos 60, passando pelo seus dois períodos mais criativos de 1970 a 1974 e depois no começo dos 80 já aderido a uma linguagem da post rock e da new wave, além de seu formato nativo fortemente marcado pela instrumentação e os spoken words cantados. Os albuns pós 2000 são marcados por releituras, encontros especiais e por composições que animam mais os velhos fãs.

tumblr_mmyifaS4Jt1s9bhiko1_500O King Crimson é normalmente identificado como uma banda de Rock progressivo, mas muito do que seu som expressa vai muita além desse involucro tão cultuado como rock erudito ou de sofisticação elaborada nos anos 70 e tão logo massacrado nos anos 80 e 90 signo de música chata, pretensiosa e em muitos momentos de gosto duvidoso, cheio de clichês baratos.

Tudo isso é verdade… desde a elaboração instrumental até a sua precarização com o chamado rock de arena ou erudito brega, mas cada caso é um caso. Dificil colocar grupos como Pink Floyd, Soft Machine, Yes, Genesis, Jethro Tull, Gentle Giant, ELP e o próprio Crimson dentro de uma mesma sacola. Temos aí nessa história muitas aproximações e cruzamentos, mas muitos, muitos distanciamentos mesmo.

Diante desse argumento percebemos que quase sempre ao ser identificado como um grupo de tal gênero o risco de sermos literalmente enquadrados com adjetivos que podem nos elevar assim como destruir sem ao menos termos uma chance para o desfrute de sua escuta. O que esse primeiro podcast dedicado ao King Crimson pretende é exatamente difundir a rica e diversa sonoridade que esse grupo trouxe ao universo rock, mas principalmente a sua inventividade e garantia de sons atemporais e bastante avançados para o período em que foram compostos. De fato podemos entender o King Crimson como uma banda de vanguarda.

King-Crimson-Larks-Tongues-in-AspicNesse primeiro programa trazemos uma seleção dos primeiros sete discos de estúdio do grupo que percorrem o período de 1969 data de lançamento do primeiro trabalho do grupo In The Court Of The Crimson King até o ano de 1974 com o lançamento do disco Red, ano que o grupo faz uma primeira pausa em suas produções retomada novamente a partir da década de 80. Ouviremos em sequência cronológica na integra ou em pequenos excertos, as músicas:

21st Century Schizoid Man do disco In The Court Of The Crimson King (An Observation By King Crimson)
Pictures Of A City, Cat Food e Groon [Single B Side] do disco In The Wake Of Poseidon
Indoor Games do disco Lizard
Formentera Lady e Ladies Of The Road disco Islands
Easy Money, The Talking Drum e Larks’ Tongues In Aspic [part2] disco Larks’ Tongues In Aspic
Lament, We’ll Let You Know e Fracture do disco Starless And Bible Black
One More Red Nightmare, Providence, Starless disco Red
Islands do disco Islands

king-crimson-73

e

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *